VAMOS COLORIR A CIDADE DE VERDE-E-AMARELO

Seção Política   •   Data 03/10/2012   •   Nenhum comentário

No dia 7 de outubro estaremos indo às urnas para eleger prefeitos e vereadores. Infelizmente não temos o voto apenas como um direito, mas, sim e especialmente, como uma obrigação, nominado eufemisticamente como “dever cívico”. E, se assim não fosse, pelas tantas decepções que vemos a cada mandato, as abstenções suplantariam, de longe, os votos válidos.  Obrigatório ou não, o voto constitui um direito dos cidadãos eleitores e um dever cívico e de cidadania. Em democracia, o voto assume-se como uma importante forma de sancionar as políticas e os governantes, contribuindo para a mudança. E para isto é importante uma análise mais aprofundada sobre em quem votar. Já houve quem dissesse que o voto é um perene aprendizado, onde as decepções e frustrações acabam por moldar os votos futuros. Hoje, com a Lei da Ficha Limpa, parece estar mais fácil separar o joio do trigo. Todavia, as coisas não são tão fáceis como nos parecem. Basta ter maior acuidade para perceber sorrisos falsos nas imagens de candidatos em programas do TRE. Alguns, além do sorriso cândido, apresentam uma voz melíflua, com beijos nos corações dos telespectadores, escondendo suas reais intenções. E essas intenções, que não são a do bem comum dos eleitores, pode ser expressa naqueles que deixam sua vaga e indicam filhos para a perpetuação da “marca”. Muitas vezes indelével sobre o que deveria ser do patrimônio público…

No dia 7 de outubro próximo assuma a sua cidadania plena. Comece colocando a bandeira do Brasil na sacada ou janela de sua residência. Mostre a todos, através da ostentação de nosso símbolo pátrio maior, que é preciso despertar a consciência cívica. Leve essa mensagem de amor à sua Pátria a todos que o cercam. Mostre aos menos esclarecidos que, no futuro, o voto vendido pode ter um preço maior de compensação. Menos escolas, menos creches, menos segurança. Oriente-se e oriente! Deixe de lado a imagem do “dever cívico” do voto e entenda-o como um direito. O direito que você tem de dar à sua cidade o que lhe parece melhor. Não se esqueça de um detalhe: O voto é a sua arma! E se você não souber usá-lo, a vítima será você! Com certeza!

Comentários

Os comentários estão desativados.